Continuação do mito do urinol…

Caros importadores de bananas, trabalhadores em barracas de pipocas, criadores de pulgas gigantes e mulheres no geral que têm mais barba do que eu…

Após tornar público o mito da auto-limpeza no urinol, o sr. Drácuécalo foi desafiado a expôr um outro mito relacionado e que provavelmente é alheio ao público feminino. Este prende-se com o facto de existir um acordo de cavalheiros entre todos os homens do planeta (homens homens… daqueles que têm músculos dos braços do tamanho de abajours de candeeiros e cujo suor é composto por testosterona) e que faz com que escolham urinóis opostos nas casas de banho públicas. Por exemplo: quando um homem entra na região do wc dos urinóis e não está lá ninguém, tem tendência a escolher o que está mais perto do lavatório (ou da porta no caso dos homens que acham que ser macho é pingar urina das mãos). Se entretanto entra mais alguém para “mudar a água às azeitonas”, vai escolher o urinol mais distante daquele que está a ser utilizado.

Isto é uma verdade universal! Coisa de Homem!

Perante este facto peço-vos que analisem o que se sucedeu comigo há uns dias: Ia eu na A1, sentido Marrocos – Ártico, quando parei numa estação de serviço para aliviar a pressão hidrostática do meu guindaste. Felizmente para mim, ninguém estava no WC e eu escolhi, o urinol mais perto do jacto de água mais próximo. Estava já em pleno acto, quando já não se consegue parar, e entra um indivíduo de aspecto duvidoso (quer dizer, daquele ninguém duvidava…) e vem para o urinol ao meu lado!!!! MESMO AO MEU LADO!!!! Fui inundado pelo constrangimento e tentei acelerar o processo enquanto o olhar dele me parecia demasiado interessado nalguma coisa do meu urinol!

Meus caros tacos de golf… saí tão à pressa que nem sacudi ou lavei as mãos!!!! E claro, a última pinguinha foi mesmo para a cueca…

Ps: Este post é um ingrediente utilizado no ensopado de borrego. Dobrar em 4 antes de adicionar ao refogado. Ler com uma dose moderada de cinismo. Pode provocar celulite. Em caso de persistência dos sintomas, consulte o seu médico ou farmacêutico.

A última pinguinha vai para onde…?

Meus caros bombeiros de alfragide, imitadores de pokemons voadores, “fazedores” de panelas de profissão e pessoas do sexo masculino no geral que não têm nenhum testículo descaído:

Como já vem sendo hábito, os posts do sr. Drácuécalo abraçam o quotidiano e divagam sobre a ânsia de verbalizar o vulgar de forma absurda. Hoje sinto necessidade quase predatória de vos pincelar com o mito que habita qualquer urinol português… Em primeiro lugar veja-se a necessidade do urinol… hmm… zero. A menos que eu seja o único a conseguir urinar de pé numa sanita. Mas aparte disso, toda a gente sabe que se há coisa que não se encontra localizada junto ao urinol é o papel higiénico! (Nem fazia sentido… onde o iria deitar depois de absorver a humidade da minha anaconda gigante?) Isto leva-nos ao busilis da coisa. Literalmente. Após esvaziarmos todo o nosso espaço intra-bexigano, onde vamos exercer a nossa higiene?

A solução é somente uma: SACUDIR!

Aqui sim, o mito entra em acção. Diz a lenda (foi a minha avó que me disse, parece que a lenda era vizinha dela) que todo e qualquer homem que urine no urinol, deixa a última pinguinha na cueca! Abismado com o poder de tal afirmação, e aproveitando aquela necessidade mictatória matinal, eu, sr. Drácuécalo, dirigi-me ao urinol mais próximo e pimba, la vai disto. Como não estava mais ninguém na casa de banho pensei: “Vou sacudir até começar a andar para trás com a força do vento!”… era esta a única maneira de ficar limpinho sem papel higiénico.

Urinei… Iniciei o processo de sacudimento e ia já bem lançado quando entra inesperadamente alguém na casa de banho. Como qualquer homem que se preze, parei tão desajeitadamente depressa que deixei várias pingas em vários locais da casa de banho… e da roupa… e claro está… a última foi mesmo para a cueca.

Ps: Este post não pretende descrever a migração da andorinha papuda, nem tão pouco lembrar que o óleo do atum em lata pode ser usado para lubrificar canhões de guerra ladeados de nádegas. Ler com uma boa dose miopia. Pode provocar febre amarela. Em caso de persistência dos sintomas consulte o seu médico ou farmacêutico.