Impostos sobre viaturas…

 

Caros comedores de alho, fumadores de ervas daninhas, mulheres que gostam de queijo fresco e pessoas no geral para quem a água com ferrugem é óptima para a saúde.

O Sr. Drácuécalo exerce a sua patrulha semanal pelas regiões demográficas espalhadas pelos distritos do mundo a várias velocidades. Para tal costuma utilizar dois meios de transporte , de acordo com a necessidade diária. Se a sua deslocação for em cidade, O Sr. Drácuécalo usa um potro Neozelandês de orelhas pardas. É económico (o preço por litro da palha é 5 cêntimos inferior ao diesel) e fácil de estacionar. Se a busca da realidade necessitar de um transporte mais veloz, o defensor das velhinhas que atravessam fora da passadeira espirra, deita os dois pulmões cá para fora, e usa-os como um balão de ar quente, flutuando sobre as auto-estradas.

Ora é precisamente o tema da deslocação que origina este post. Como qualquer veículo automóvel, o potro Neozelandês também precisa de ir à revisão, mudar o óleo e pagar os devidos impostos. Quando o Sr. Drácuécalo se deslocou às finanças para o pagamento do imposto de circulação, deparou-se com uma quantia radical de diversos euros. Será impressão minha ou na verdade era o estado que nos devia pagar um imposto de circulação pelo estrago que as estradas portuguesas causam nos nossos veículos?! Tomei a liberdade de perguntar ao senhor/a que estava a atender-me (não consegui identificar o género do/a indivíduo/a) se podia pôr o potro a andar só em dois cascos e pagar o mesmo que uma moto, ao que ele/a me respondeu que não porque não havia nenhuma moto com apenas 1 cavalo! Prontamente lhe respondi que ele/a era pouco inteligente porque aquilo era um potro neozelandês e não um cavalo adulto. Do resto da conversa o Sr. Drácuécalo lembra-se pouco… Apenas um punho do/a senhor/a no estômago (pela força do murro continuei a não distinguir o género), várias cambalhotas por cima do balcão de atendimento nº 4 e aquilo que me pareceu uma estranha dança árabe e que se situava entre uma agressão e uma modesta tentativa de apalpação da minha região glútea…

Minhas caras jobóias do Maracaná, nunca, mas nunca se argumenta contra um atrabalhador das finanças cujos traços faciais se assemelham a uma mistura de Carmen Miranda com o Chuck Norris…

 

 

 

P.s: Este post não tem nenhuma referência ao grande senhor Chuck Norris! Nem no p.s! Nem pretende aumentar a velocidade das scooters com capacidade para 5 pessoas. O Sr. Drácuécalo não entrou recentemente numa novela islamita nem tão pouco é o responsável pelos flashs dos radares no túnel do Marquês. Deve ser lido com a garganta inflamada. Pode provocar intoxicação alimentar. Em caso de persistência dos sintomas consulte o seu médico ou farmacêutico.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s